Não Basta liderar. é preciso inspirar a equipe

Jornal da Tarde – Suzane G. Frutuoso

Em um país onde o emprego está em alta, mais pessoas ascendem profissionalmente. Muitos chegam a cargos de chefia. Nem todos serão líderes (porque mandar não significa inspirar). Há, porém, caminhos para aprender a comandar de maneira justa, sensata, motivadora e de forma a incentivar um ambiente de trabalho agradável.

O Mosteiro de São Bento, no centro da cidade de São Paulo, uma das joias arquitetônicas do patrimônio da capital, com 413 anos, será o cenário para quatro MBAs, em parceria com o INPG Business School.

Com o início das aulas marcado para agosto, o curioso dos cursos é o foco na ideia do líder servidor, difundida, especialmente, pelo livro O Monge e o Executivo (Ed. Sextante), de James C. Hunter. A obra se tornou um sucesso editorial, com milhares de exemplares vendidos pelo mundo, ao mercantilizar a Regra de São Bento, um conjunto de preceitos que regulava a vida monástica.

“A essência desse tipo de liderança é tratar os outros como gostaria de ser tratado”, diz Danilo Talanskas, coordenador dos MBAs nas áreas de finanças e controladoria, gestão empresarial, mercado de capitais, e direito empresarial e gestão tributária.

Danilo Talanskas, coordenador dos MBAs nas áreas de finanças e controladoria, gestão empresarial, mercado de capitais, e direito empresarial e gestão tributária (Foto: Werther Santana/AE)

Parece óbvio. Mas parte considerável dos cursos de pós-graduação voltada à educação executiva insiste na ideia do lucro acima de tudo e competição acirrada.

Abades-doutores

Professor do INPG há 12 anos, Talanskas, que é mórmon, começou a analisar a possibilidade das aulas no Mosteiro quando era presidente da Elevadores Otis. Em 2007, os monges o chamaram para desenvolver um elevador para o papa Bento 16, que ficou hospedado no local durante a visita ao Brasil. A estrutura do prédio histórico não poderia sofrer danos.

“Estreitamos laços e, depois de algumas conversas, percebemos que existia uma demanda grande para MBAs na região central da capital. Há muitos profissionais e empresas nas redondezas”, afirma.

A grade curricular oferece a formação necessária para a competição no mercado de trabalho. O diferencial dos cursos serão as palestras de quatro abades-doutores durante o programa acadêmico. São essas as aulas que levarão os alunos a refletirem sobre a importância da liderança servidora e ética.

“As pessoas estão cada vez mais conscientes que realização não é só ganhar dinheiro, mas fazer a diferença na sociedade”, diz Talanskas.

Ser um líder servidor parece algo inerente à personalidade de um indivíduo. Um carisma que não se aprende. Segundo o professor, não é. “Já vi transformações enormes de alunos que aprenderam essa liderança”, diz.

De acordo com o coordenador, esse profissional se destaca em qualquer ambiente, inclusive em meio à pressão. “Um local de trabalho no qual não se convive com a transparência pode ser o único problema. Nessa situação, o líder servidor acaba eliminado da empresa. Melhor para ele”, acredita o professor.

O número de vagas para os MBAs no Mosteiro não foi limitado, mas as inscrições já estão abertas. Com duração de um ano e dez meses, os cursos custam R$ 860 mensais. Bolsas de estudos serão oferecidas a partir de 2012.

http://blogs.estadao.com.br/jt-seu-bolso/nao-basta-apenas-liderar-e-preciso-inspirar-a-equipe/