BOM DIA explora interior do Mosteiro sorocabano e confere avanço no restauro

Fernanda Ikedo – Agência Bom Dia

O Mosteiro de São Bento de Sorocaba, pertencente à Ordem Beneditina, além de ser um dos cartões postais mais importantes da cidade, pela sua contribuição histórica, que data do século 17, está em reforma desde 2004.

De acordo com o monge responsavel pelo Mosteiro, Dom José Carlos Camorim Gatti, o projeto total de reforma está avaliado em R$ 4 milhões.

Uma das principais empresas a contribuir com a restauração é a Petrobras, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Poucas pessoas tiveram a oportunidade de visitar a parte interna do Mosteiro, antes da reforma eram locais proibidos para visitação.

Além de realizar missas, o Mosteiro atende pessoas carentes, realiza ensaios com coral de crianças, entre outras atividades. De acordo com historiadores e pesquisadores, além de ser um local sagrado, para veneração, o Mosteiro de de Sorocaba é um dos únicos no país que ainda preserva arquitetura original. “Eu me sinto mais seguro aqui com essas parede de taipa a muitas construções novas”, confessa Dom José Carlos.

Dom José no corredor do Mosteiro de São Bento de Sorocaba - Foto: Gilson Hanashiro / Agência BOM DIA

A área que mais preocupava os técnicos era a sacristia, por apresentar uma rachadura grande na parede feita de taipa.

As  paredes contam história/Dom José ressalta que antes de iniciar a reforma especialistas de São Paulo fizeram a prospecção das paredes, para descobrir as camadas.

Tanto a sacristia como o telhado e a parede do claustro São Jerônimo já estão prontos. Atualmente, as obras estão concentradas na casa de Nazaré, local onde ocorre atendimento às comunidades carentes.

O trabalho inicial começou com a Associação Amigos do São Bento, que tem 27 conselheiros, nove diretores, com Dom José Carlos na presidência. Além da associação, dos populares, das empresas particulares, a Prefeitura de Sorocaba também contribuiu para a reforma, por meio de emenda da aprovado pela Câmara dos Vereadores.

 As igrejas e mosteiros são lugares para a devoção e a veneração, mas também para abrigar sepulturas. Antigamente, antes da existência de cemitérios, pessoas ilustres garantiam seus túmulos próximos do local mais sagrado. Na parte interna, próximo do jardim do Mosteiro há o claustro das sepulturas, com pelo menos duas no solo, que nunca foram descobertos. Há apenas dois sinais misteriosos de cruzes. Já na igreja de Sant´Anna que faz parte do mosteiro há sepulturas do fundador da cidade Baltasar Fernandes e de Frei Baraúna.

Século 21 convivendo ao lado do século 17
A nova hospedaria fica atrás do Mosteiro. Inaugurada em 2008 por Dom José, tem seis celas, com banheiros , salas de estar e de jantar, copa, cozinha, lavanderia e dois parlatórios.

Fachada
Todas as paredes do Mosteiro devem ficar na taipa, para que sofram intervenção e o acabamento.