Com entrada gratuita, museus explicam a História do 09 de Julho

Para celebrar o próximo 9 de Julho, aniversário de 79 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, apresentamos três museus especiais sobre este importante evento na História paulista

A cidade de São Paulo está repleta de atrações culturais gratuitas durante o ano todo e nem todos os paulistanos aproveitam estas oportunidades. São peças de teatros, exposições fotográficas, museus, palestras e workshops dedicados aos mais variados e assuntos.

E existe na cidade de São Paulo alguns museus gratuitos especialmente destinados a Revolução de 1932. Todos eles espaços impecáveis, com acervos exclusivos e organizados com muito esmero pelos seus mantenedores. O blog São Paulo Abandonada & Antiga visitou e apresenta ao leitor três museus totalmente dedicados à Revolução Constitucionalista de 1932 que merecem uma visita, seja para conhecer um pouco mais sobre o acontecido ou seja para se aprofundar em suas pesquisas. Dois deles são tão próximos que podem ser visitados no mesmo dia! Vamos conhecê-los ?

Memorial 32 – Centro de Estudos José Celestino Bourroul

Localizado no prédio do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, o Centro de Estudos José Celestino Bourroul é um excelente lugar não só para conhecer melhor a Revolução de 1932, como também uma excelente pedida para estudantes e pesquisadores interessados em estudar ainda mais sobre o tema e sobre a história de São Paulo. O belíssimo museu possui um acervo vasto e rico que chama a atenção pela organização primorosa e pela atenção e dedicação dos funcionários em atender os anseios de quem visita o memorial.

O museu leva o nome do Engenheiro José Celestino Bourroul, que foi doador de grande parte do acervo disponível no local e que desde jovem foi divulgador da causa constitucionalista. Bourroul também foi vice-presidente do São Paulo Futebol Clube e presidente da COHAB.

No espaço é possível ver medalhas, pinturas, armas antigas, documentos, fotografias e também pesquisar na hemeroteca e nos mais de 4mil livros disponíveis. Pode-se pesquisar o catálogo da biblioteca pela internet.

Serviço:
rua Benjamim Constant, 158 – 4o andar – Sé
Telefone: (11) 3104-5050
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 10:00 às 17:00hs
Site: http://www.memorial32.org.br

 

Galeria Jorge Mancini

Também muito pouco conhecida pelo paulistano em geral, a Galeria Jorge Mancini é uma grata surpresa na região central da cidade. O excelente espaço dedicado à Revolução de 1932 está localizada dentro da sede da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (AFPESP) , na rua Venceslau Brás.

A galeria leva o nome do Capitão Jorge Mancini (1900-1993) um dos seis valorosos irmãos da família Mancini que se incorporaram voluntariamente ao Exército Constitucionalista. Jorge Mancini também foi fundador e presidente da Associação dos Ex-Combatentes de São Paulo. Todo o acervo inicial riquíssimo desta galeria foi doado ainda em vida por Mancini para a AFPESP com o forte desejo, segundo ele,  de: “…perpetuar o ideal democrático que inspirou a Ação de 32″.

Na galeria é possível conhecer toda a trajetória da Revolução desde os primeiros momentos até o seu término através de fotografias, quadros, material de propaganda militar, uniformes, títulos de tesouro, moedas, medalhas e muitos documentos raros, além de imagens dos próprios membros da família Mancini.

Uma excelente pedida não só para visitas solitárias mas também para grupos de estudantes e excursões escolares. O local está totalmente preparado para receber o público interessado. Se estiver passando pelo centro de São Paulo, o passeio é imperdível.

Serviço:
rua Venceslau Brás, 206 – 1o andar – Sé
Telefone: (11) 3293-9581 / (11) 3293-9588

 

Museu do Colégio Santo Ivo / Museu Maria Soldado

Melhor do que ir em um museu é ir em dois ao mesmo tempo. E é esta facilidade que você consegue ao ir visitar o museu da Revolução de 1932 que está no Colégio Santo Ivo, no bairro da Lapa. O local possui o seu museu próprio, inaugurado em 2006, com um rico acervo exclusivo, com fotografias, estátuas, numismática, livros , cartazes e muitas outras atrações curiosas. Além disso, o museu do colégio oferece para apreciação algumas belas pinturas de temáticas revolucionária do artista plástico Vicente Caruso (1912-1986), que principalmente entre 1932 e 1954 pintou excelentes quadros simbolizando o orgulho paulista.

Além do museu próprio, o Colégio Santo Ivo abriga também, há dois anos, o Museu Maria Soldado, cujo acervo é da Sociedade dos Veteranos de 32 e que fica originalmente no Obelisco do Ibirapuera. Desde que o local fechou para reformas o acervo encontra-se a disposição nesta instituição, temporariamente. Entretanto, apesar de provisório, a sensação é de que você está no local oficial, tamanho é a organização do espaço.  Por ser o principal acervo da Revolução, no local é possível encontrar raridades exclusivas, como uma carta escrita por Santos Dumont, fotografias do combate em diversos pontos de São Paulo, matracas, capacetes, medalhas e uma das hélices do avião de combate que, nos céus, teria influenciado Santos Dumont a suicidar-se. No local há também a biblioteca da Sociedade dos Veteranos de 32 que possui inúmeras fichas e documentos e que é constantemente visitado por pesquisadores, estudantes e militares em busca do passado histórico. O local dispõe de uma área especialmente destinada a pesquisa de documentos.

Apesar de localizado dentro de uma escola, o acesso é livre a todos os interessados em conhecer os dois museus, inclusive grupos de outras escolas, além de pesquisadores e público em geral. Basta agendar a visita por telefone.

Serviço:
rua Duarte da Costa, 1246 – Lapa
Telefone: (11) 3837-0566 / Email: info@santoivo.com.br
 
Fonte: São Paulo Antiga