O abade Mathias, na biblioteca: “Estamos mais dinâmicos”

Beneditinos investem em iniciativas como palestras e eventos culturais

Manuela Nogueira – Veja São Paulo 29/06/2011

O best-seller “O Monge e o Executivo”, do escritor americano James Hunter, narra a história de um homem que passa uma temporada num mosteiro para refletir sobre liderança e ética com base nos ensinamentos de Jesus Cristo. Esse enredo inspirou a criação de um novo curso de MBA na cidade, num local bastante sugestivo: o Mosteiro de São Bento. As inscrições para o programa de até 88 semanas foram abertas no último dia 16 e as aulas começam em agosto na faculdade localizada dentro da abadia, com mensalidades em torno de 800 reais. Trata-se de uma parceria entre os beneditinos e o Instituto Nacional de Pós-Graduação (INPG). “Reforçar o ensino está em acordo com a nossa regra monástica”, explica João Baptista Barbosa Neto, monge responsável pela biblioteca e pelas atividades culturais da ordem.

Além das dezoito missas semanais realizadas em sua igreja, que atraem aos domingos cerca de 600 pessoas e são acompanhadas por canto gregoriano, os beneditinos vêm multiplicando suas atividades nos últimos anos com o objetivo de se aproximar da população. É uma mudança importante no perfil de um grupo tradicionalmente recluso e fechado a novidades. Um marco disso foi a introdução, em 2007, de um brunch dominical dentro do mosteiro, com iguarias preparadas pelos religiosos. Depois, o número de exposições e de apresentações musicais na abadia começou a aumentar. Somente para o segundo semestre deste ano estão previstos treze eventos, entre concertos e mostras de pintura e escultura. “Estamos mais dinâmicos”, afirma Mathias Tolentino Braga, que ocupa o cargo de abade, uma espécie de prefeito dos beneditinos.

Os monges João Baptista e João Marcos: preparação para comemorar o centenário da basílica, em abril do próximo ano

A comunidade se estabeleceu em São Paulo em 1598, menos de cinquenta anos após a fundação da cidade. No mosteiro vivem hoje 42 monges. Algumas dependências do prédio continuam com acesso reservado exclusivamente a eles, como o claustro e certas alas da biblioteca. Abraçar essa causa significa abrir mão dos bens pessoais e ter uma agenda totalmente controlada. Todos acordam às 5 horas da manhã e têm períodos determinados para a meditação. Sua rotina funde-se aos novos costumes. O monge João Marcos, encarregado de pagar as contas, faz a maioria das operações on-line.

Um dos eventos de maior orgulho dos beneditinos se deu por ocasião da visita do papa Bento XVI a São Paulo em 2007, quando ele se hospedou por duas noites no mosteiro. “Isso fez crescer muito o interesse das pessoas pelo lugar”, diz o monge João Baptista. O prédio atual da ordem data de 1914, mas a basílica foi inaugurada dois anos antes. Por isso, eles se preparam para comemorar o centenário de sua igreja em abril de 2012. Algumas imagens e o imponente órgão de 7.000 tubos devem passar por restauros. “Faremos também uma programação cultural ainda mais caprichada para marcar essa data tão importante”, promete o monge João Baptista.

NOVIDADES NO MOSTEIRO
As iniciativas dos religiosos para se aproximarem mais dos paulistanos

Cursos e palestras
Há dois anos, os monges organizam palestras gratuitas sobre filosofia, ética e teologia no Café Girondino, além de aulas de canto gregoriano na Faculdade de São Bento.

Eventos culturais
No início de 2010, uma grande exposição de arte contemporânea realizada na Capela do Colégio atraiu cerca de 40.000 pessoas. Para o segundo semestre deste ano estão confirmadas seis apresentações musicais e sete mostras de escultura e pintura.

Comida
No refeitório do Colégio São Bento é promovido desde 2007 um brunch. O evento se tornou mensal três anos depois. Em 2009, os religiosos abriram a Padaria do Mosteiro, nos Jardins, com iguarias produzidas dentro da ordem.

Brunch

 http://vejasp.abril.com.br/revista/edicao-2223/monges-abrem-inscricoes-para-cursos-de-mba