Cerimônia religiosa teve presença de presidente Dilma Rousseff e tucano José Serra

Thiago Guimarães iG Bahia – 22 de Maio de 2011

Bem-Aventurada Dulce dos Pobres

A religiosa baiana Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, conhecida como Irmã Dulce (1914-1992), foi beatificada em cerimônia neste domingo (22) em Salvador.Conhecida como “anjo bom da Bahia” em razão de seu trabalho assistencial, Irmã Dulce passa a ostentar a denominação de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. Com a beatificação, fica a um passo de receber o título de santa pela Igreja Católica Apostólica Romana, principal ramo do catolicismo no País. 

A beatificação é a etapa que antecede a canonização – o título de santa será concedido caso haja comprovação, com aval do Vaticano, de mais um milagre atribuído à religiosa. O beato é tido pelo Vaticano como exemplo para fiéis católicos pelo mundo.

Em outubro de 2010, o Vaticano reconheceu o primeiro milagre intercedido por Irmã Dulce, cujos detalhes foram divulgados na semana passada. A freira teria motivado a recuperação de uma mulher sergipana, desenganada após sofrer 28 horas de hemorragia durante o parto.

Para a Igreja Católica, uma graça é considerada milagre se atender a quatro pontos: instantaneidade (graça alcançada logo após o pedido), perfeição (atendimento completo do pedido), durabilidade e permanência e suposta não-explicação pela ciência.

Cerimônia sob chuva

A celebração deste domingo, sob chuva forte em alguns momentos, reuniu milhares de católicos no parque de exposições de Salvador. Começou por volta das 14h, com uma apresentação artística. A missa teve início por volta das 17h, com cerca de 500 religiosos, entre padres, arcebispos, bispos, diáconos e seminaristas.

A beatificação se confirmou com a leitura de carta do papa que inscreveu Irmã Dulce na relação de santos e beatos da Igreja Católica. Houve ainda o anúncio da data de 13 de agosto como dia de celebração da festa litúrgica da beata.

Com a beatificação de irmã Dulce, o Brasil passa a contar com cerca de 70 beatos, candidatos potenciais a santos. Considerada a maior nação católica do mundo, com 73% da população católica pelo Censo 2000, o Brasil tem apenas um santo nascido no País, o Frei Galvão (1739-1822), canonizado em 2007 pelo papa Bento 16.

Bento 16 deu sequência à linha de seu antecessor, João Paulo 2º (1920-2005), beatificado neste mês e que fez da proclamação de santos uma forma de evangelização. “O Brasil precisa de santos, muitos santos”, é uma frase atribuída ao antecessor de Bento 16.

Presença da Presidente Dilma e demais autoridades políticas

A presidente Dilma Rousseff, em sua primeira viagem após pneumonia diagnosticada no final de abril, chegou ao local da missa por volta das 17h10, acompanhada pelo governador da Bahia, Jaques Wagner. 

Em outubro de 2009, quando ainda era pré-candidata à Presidência, a então ministra da Casa Civil visitou a sede da entidade filantrópica fundada por irmã Dulce em Salvador.

Na cerimônia desde domingo, Dilma se sentou em uma tenda coberta, ao lado de Wagner e do presidente do Senado, José Sarney. A estrutura foi montada de última hora para abrigar a presidente, que confirmou presença somente na sexta-feira (20).

Em outro ponto da celebração, sob chuva, ficou José Serra. Ao lado dos deputados federais Antônio Imbassahy e Jutahy Júnior em área ampla reservada a convidados, Serra não se encontrou com Dilma e teve que usar uma capa de plástico durante momentos da cerimônia.

Em 2007, durante visita do papa Bento 16 ao Brasil, Serra era governador de São Paulo e enviou carta ao pontífice pedindo a beatificação da freira. Como Dilma, Serra também visitou as obras sociais da religiosa durante a fase da pré-campanha, em abril de 2010, e acendeu uma vela no local.

Nesse domingo, Serra disse que não era o momento de comentários sobre política e preferiu falar sobre Irmã Dulce. “Esta é uma vitória. Não uma vitória de alguém, e sim da solidariedade, Irmã Dulce já era uma santa em vida”, disse.

Já a presidente Dilma não falou com a imprensa durante a passagem por Salvador. Deixou o parque de exposições às 19h25, sob forte chuva e ainda durante os últimos cânticos da missa, e seguiu para Brasília.