Papa aconselha famílias e jovens a transmitirem a “esperança cristã” no mundo moderno

Mais de 300 mil fiéis católicos assistiram, neste domingo, a uma missa conduzida pelo papa Bento XVI no parque San Giuliano di Mestre, em frente a Veneza.

Ele fez um chamado à unidade em prol da justiça e da paz durante a grande missa. Ele incentivou os presentes a não ceder às tentações da cultura hedonista e do consumismo materialista.

O papa pediu aos presentes que transmitam a “esperança cristã” ao homem moderno, “vencido não poucas vezes por problemas que põem em crise os próprios fundamentos”.

“Inclusive um povo tradicionalmente católico pode advertir em sentido negativo ou assimilar quase inconscientemente os efeitos de uma cultura que termina insinuando um modo de pensar no qual é abertamente rejeitado ou ocultamente obstaculizado a mensagem evangélica”, disse Bento 16.

“Sei quanto foi e quão grande continua sendo o compromisso na defesa dos valores perenes da fé cristã”, admitiu.

Milhares de pessoas começaram a chegar ao local nas primeiras horas da manhã. Em poucas horas, o parque de mais de 700 hectares – recentemente reformado e transformado em área de proteção ambiental – estava repleto de famílias e jovens.

Após a realização da missa, Bento XVI  visitou o maior parque público da Europa, e rezou o Regina Coeli, que substitui o Ângelus dominical na Páscoa.

O pontífice subiu à “Dogaressa”, uma gôndola de dimensões maiores do que habitual já utilizada em 1985 na visita do papa beato João Paulo II a Veneza.

Levado por quatro gondoleiros, Bento XVI fez o percurso do píer de São Marcos à Basílica de Santa Maria da Saúde, para encontrar-se com representantes da cultura e da economia.

O pontífice, de 84 anos, realizou uma visita pastoral de dois dias iniciada no sábado, quando foi a Aquileia, perto da fronteira com a Eslovênia, e à praça de São Marco, em Veneza.