Revelado na imprensa que estudiosos italianos afirmaram que vão exumar ossos de um convento em Florença para tentar encontrar os restos de uma mulher que poderia ter sido a modelo do quadro La Gioconda, a famosa Mona Lisa de Leonardo da Vinci. O projeto foi lançado por equipe de especialistas organizada e chefiada por Silvano Vinceti. As escavações ocorrerão no Convento de Santa Úrsula a partir do fim do mês. Acredita-se que Lisa Gherardini, mulher de um rico mercador de sedas chamado Francesco del Giocondo, uma figura proeminente no governo de Florença, teria sido a modelo do mais conhecido quadro do artista renascentista. Ela, conhecida por La Gioconda – devido o nome do marido -, teria nascido em 1479. Testes de DNA serão feitos nos ossos.

Além disso, a obra guarda outros mistérios. Em 2010 códigos cifrados foram descobertos nos olhos da pintura. Agora, os pesquisadores querem saber o que tais mensagens significam.

O quadro é especulado há séculos. Já se falou que Mona Lisa tinha muita gordura, que os traços físicos eram do Próprio Leonardo da Vinci e que Lisa Gherardini não é o modelo da obra, gerando discordância entre pesquisadores de todo o mundo.

Há diversos livros e documentários que tratam polemicamente do assunto.

Em Agosto de 1911, a obra foi roubada do Museu do Louvre. Foram vários os suspeitos, incluindo o poeta Guillaume Apollinaire e o pintor Pablo Picasso. A obra reapareceu na Itália, nas mãos de Vicenzo Peruggia, alegando ser um patriota italiano que desejava fazer retornar para seu país um dos numerosos tesouros roubados por Napoleão Bonaparte.

A pintura a óleo sobre madeira de álamo encontra-se exposta no Museu do Louvre, em Paris, com o nome oficial de Lisa Gherardini, mulher de Francesco del Giocondo, desde a era napoleônica – salvo a ausência de breve período quando da guerra com a Prussia -, sendo sua maior atração.

No entanto, para os admiradores, nenhuma destas dúvidas sobre a identidade de Mona Lisa possui influencia estética na admiração desta famosa obra mundial.