Uma antiga aspiração do Instituto de Artes (IA) e da comunidade acadêmica em geral, a construção do Museu de Artes Visuais da Unicamp (MAV), finalmente será concretizada. O projeto arquitetônico do MAV, elaborado pelo Escritório Modelo do curso de Arquitetura e Urbanismo, já está pronto e a licitação para as obras físicas, em pleno andamento.  “Esperamos que os trabalhos de construção comecem no início do segundo semestre e que estejam concluídos no prazo máximo de um ano”, afirma o professor Leandro Medrano, que coordenou a equipe responsável pela proposta arquitetônica. “A construção do museu é sem dúvida uma conquista para toda a Universidade”, considera a professora Maria de Fátima Morethy Couto, diretora associada do IA e integrante da equipe que viabilizou a implantação do espaço.

De acordo com Leandro Medrano, o MAV será erguido em duas etapas, em um terreno localizado nas imediações do IA, Instituto de Economia (IE), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e Ciclo Básico. “Quando a Reitoria constituiu os grupos de trabalho [foram dois, cujas ações se complementaram], ela nos pediu, em função do orçamento reduzido, que o museu pudesse ser ampliado. Assim, concebemos um projeto que prevê duas fases de construção. A primeira contemplará espaços para acervo, exposições temporárias, área técnica, área administrativa, auditório, café e área para exposições acadêmicas. Isso representará em torno de 2.800 m2 de área construída. A segunda, que será executada logo que for possível, terá perto de 4 mil m2 e contará com novos auditórios e um espaço para exposição permanente”, explica o docente.

Ainda segundo Leandro Medrano, o conceito do MAV é bastante inovador. Além de atender às normas técnicas para esse tipo de espaço, o projeto levou em conta todo o entorno. “A ideia é integrar o museu ao que existe ao seu redor. O projeto também propõe que as dependências do museu sirvam à vivência da comunidade interna e dos visitantes. Para isso, haverá, por exemplo, um pátio interno e um jardim de esculturas. Um dado importante é que todos os edifícios contarão com elevadores e rampas, de modo a garantir a acessibilidade de todos”, acrescenta ele.

De acordo com Maria de Fátima Couto, o primeiro passo para a edificação de uma sede para o museu foi dado na gestão do professor José Roberto Zan à frente do IA. Com o compromisso da Reitoria de concretizar o projeto, o Instituto, por meio de sua Congregação, decidiu doar o acervo da sua Galeria de Arte para o novo espaço. “Ou seja, o museu nascerá com um acervo de aproximadamente mil obras, que foi constituído por meio de doações de alguns expositores e também pela aquisição ou doação de acervos importantes, como os de Geraldo de Barros, Anatol Wladislaw e Mário Bueno”.

Além dessas obras, releva a diretora associada do IA, o MAV contará também com mais 500 peças que serão doadas pelo físico Rogério Cerqueira Leite, professor emérito da Unicamp. “São artefatos africanos e pré-colombianos de grande importância histórica e arqueológica”, detalha a docente. Na avaliação dela, tão importante quanto ter espaços adequados para a manutenção de exposições permanente e temporárias, é oferecer oportunidades para que novos artistas possam levar o seu trabalho ao conhecimento do público através do MAV. “Não podemos nos esquecer também que o acervo permanente do museu tem sido e continuará sendo objeto de vários estudos acadêmicos por parte dos nossos alunos”. Participaram da elaboração do projeto arquitetônico do MAV os seguintes estagiários do Escritório Modelo : Beatriz Crocco, César Martini, Daniel Turczyn, Diogo Gouveia, Giusepe Filocomo, Isabela Sancho, Laura Figueiredo, Paula Takahashi, Renata Latuf e Tainá Ceccato.

Encontro

Uma consequência importante relacionada à construção do MAV é o evento “Museus de Arte na Atualidade: Propósitos e Proposições”, que será realizado nos dias 27 e 28 de abril, no auditório do IA. O objetivo da iniciativa, conforme a professora Maria de Fátima Couto, é proporcionar uma ampla reflexão sobre o papel do Museu de Arte na atualidade, em seus mais diferentes aspectos, especialmente acerca das experiências inovadoras em curso em outros museus no Brasil e no exterior. O encontro contará com a participação de profissionais que trabalham em museus ou estudam seus acervos, exposições e espaços.

ENCONTRO 
Museus de Arte na Atualidade: Propósitos e Proposições

Este evento, organizado pela Comissão Gestora responsável pela implantação do Museu de Arte da Unicamp, tem por objetivo propiciar uma ampla reflexão sobre o papel do Museu de Arte hoje, em seus mais diferentes aspectos e, em especial, sobre experiências inovadoras em curso em outros museus no Brasil e no exterior. Ele reunirá profissionais que trabalham em museus, ou estudam seus acervos, suas exposições, seus espaços.

PROGRAMAÇÃO e APRESENTAÇÃO DOS CONVIDADOS

1º dia – 27/04/2011

9:30h Cerimônia de abertura

10:00h Palestra: Carlos Roberto Ferreira Brandão – Presidente do ICOM/Brasil
Tema: A experiência dos museus brasileiros e o contexto internacional.

Intervalo para almoço

14.00h Mesa-redonda: Arquitetura e Expografia em Museus

Paulo Julio Valentino Bruna (USP)
Tema: O Museu e a cidade pós-industrial. Os museus de Frankfurt. [resumo]

Paulo Roberto Gaia Dizioli (FACAMP/SENAC)
Tema: Cidade, projeto cultural e arquitetura efêmera. [resumo]

Marilia Xavier Cury (MAE/USP)
Tema: Espaço museal, exposição museológica e público. [resumo]

2º Dia 28/04/2011

9.30h Mesa-redonda: Museus Universitários em debate

Tadeu Chiarelli (ECA/USP)
Tema: O moderno, o contemporâneo e o MAC-USP em tempos de mudança. [resumo]

Marize Malta (EBA/UFRJ)
Tema: Um acervo à disponibilidade do ensino artístico: da pinacoteca ao
museu D. João VI. [resumo]

Maria Izabel Meirelles Reis Branco Ribeiro (FAAP)
Tema: O Museu de Arte Brasileira da FAAP.

Intervalo para almoço

14.00h Mesa-redonda: Propostas e ações do Serviços Educativos nos Museus
de Arte de São Paulo.

Mila Chiovatto (Pinacoteca)
Tema: Museus de arte na atualidade: Provocações.

Paulo Portella Filho (MASP)
Tema: O Serviço Educativo do MASP: 15 anos. [resumo]

Maria Stela Fortes Barbieri (Bienal e Instituto Tomie Ohtake)

Inscrições pelo site: http://www.iar.unicamp.br/museudeartesvisuais/encontro2011.html