Uma das grandes artístas plásticas da atualidade, Cristiane Carbone tem ganhado destaque nos últimos anos por ter dado um novo olhar à cidade de São Paulo, por meio de suas pinturas.

Cristiane apresentou seu trabalho no Mosteiro de São Bento de São Paulo no aniversário da cidade, no último 25 de Janeiro de 2011.

Todos conhecemos a São Paulo Antiga que chega até nós através de fotografias. São representações iconográficas de outras épocas que se perpetuaram através dos tempos pelas lentes de fotógrafos já conhecidos como Militão Augusto de Azevedo ou Aurélio Becherini. A pintura também se faz presente na representação da São Paulo de outrora com inúmeros artistas que com o passar dos anos vão surgindo e mostrando uma São Paulo completamente diferente dos dias atuais.

E nesta busca incansável de representar a São Paulo Antiga através de pinturas, encontramos o magnífico trabalho da artista plástica paulista, Cristiane Carbone. De Santo André, Cristiane passa em seus quadros a sensação de uma cidade incrível e que não existe mais.

O site São Paulo Antiga entrevistou a artista plástica na ocasião de sua exposição no Mosteiro de São Bento e convida a todos a lerem e conhecer um pouco mais de seu  trabalho.

Veja entrevista na íntegra:

Douglas Nascimento / São Paulo Antiga (SPa): Quando começou a sua vontade de pintar ?
Cristiane Carbone: Essa inspiração me surgiu quando eu ainda era uma criança. Eu ia com os meus pais viajar para o interior do Estado de São Paulo, e fazíamos o embarque na Estação da Luz. Quando eu chegava nesta estação, ficava maravilhada com tudo que via, meus olhos brilhavam. Era o indício de algo, que eu ainda não sabia como iria se manifestar. Somente aos 7 anos de idade eu comecei a desenhar, e até que em 1991, aos 17 anos, entrei em um curso de desenho artístico, pois queria até então ser desenhista. Mas no final do curso, tivemos uma introdução à pintura e foi quando realmente comecei a pintar, com temas diversos. Eu já tinha paixão por São Paulo, mas não encontrava registros da cidade em que eu poderia me basear para  o meu trabalho.

SPa: E como surgiu esta sua inspiração para pintar quadros com a temática da Cidade de São Paulo ?
Cristiane: Em 1999, um cliente meu me ligou e pediu que eu pintasse o Palácio das Indústrias. E meu problema para executar este trabalho era a falta de referências. Foi então que ele contratou um fotógrafo para que fosse até o palácio e registrasse muitas fotos dele para que eu pudesse fazer a pintura. Surgia assim meu primeiro trabalho temático de São Paulo. Mas eu sempre tive uma paixão muito grande pela Estação da Luz, então em 2001 este mesmo cliente pediu que eu pintasse a Estação da Luz. Desta vez, eu precisava de fotos para referência, mas fizemos diferente. Fomos eu, fotógrafo e cliente e fotografamos a Estação da Luz, o Martinelli, Mercadão, Museu do Ipiranga e neste momento me vi cercada de bastante material para fotografar a cidade de São Paulo. Em 2001, nascia meu trabalho de retratar São Paulo, especificamente após a pintura da Estação da Luz.

SPa: E desde então, não parou mais. Quantas pinturas com a temática de São Paulo você já realizou ?
Cristiane: Olha, eu não tenho isso contabilizado oficialmente. Mas eu acredito que já tenho realizado mais de 300 quadros.

SPa: Aqui no São Paulo Antiga, as fotografias que os leitores mais gostam de ver são as do Castelinho da rua Apa, mesmo estando em péssimo estado de conservação. E nos seus quadros ? Qual a pintura favorita da artista e a pintura favorita de seus clientes e admiradores ?
Cristiane: Na minha preferência, pela razão que já falei no começo, a Estação da Luz é a minha grande obra favorita. Já no perfil de clientes e admiradores da minha obra, temos também a Estação da Luz entre as favoritas, como também o Museu do Ipiranga. Porém, neste momento, a obra que eu mais tenho comercializado é a da Catedral da Sé.

SPa: Você também é artista oficial da pintura do Marco da Paz. Como este convite chegou até você ?
Cristiane: O Marco da Paz para mim é um compromisso. Eu conheci o Luigi (idealizador do marco) pouco antes de uma exposição minha que seria realizada em 2005 no Páteo do Colégio, ainda em novembro de 2004, quando eu o presenteei com uma obra que ilustrava o Marco da Paz. Foi ai que surgiu nossa ideia de homenagear com uma pintura do Marco da Paz pessoas que são divulgadoras da cultura de paz. Foi um compromisso que assumi e fazer parte desta iniciativa com o Sr. Luigi, é algo tudo de bom.

Dom Odilo recebe o Marco da Paz das mãos de Gaetano Luigi (obra de Cristiane Carbone)

SPa: Seu trabalho já foi exposto inúmeras vezes aqui em São Paulo. Em quais outros lugares você já expôs ?
Cristiane: Eu já fiz duas exposições em Brasília, uma vez na Câmara dos Deputados e outra no Senado Federal. Também já tive meu trabalho exposto em Palmas (TO), Sorocaba, Água de Lindóia, Serra Negra, Rio Claro e alguns outros salões.

SPa: Qual artista lhe inspira para pintar seus quadros temáticos de São Paulo ?
Cristiane: O fotógrafo Militão Augusto de Azevevo pela sua obra que nos permite hoje conhecer uma São Paulo Antiga que não existe mais e que foi fundamental para minha referência, e também Wasth Rodrigues cuja obra conheci certa vez no Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP), apresentado através do grande poeta paulista Paulo Bomfim.

SPa: Seus quadros já se espalharam não só pelo Brasil, mas pelo mundo. Conte para nós onde foram parar algumas obras suas.
Cristiane: Eu tenho conhecimento de algumas obras na Itália. Recentemente soube de outra obra minha que foi levada para a Alemanha, além de México, Uruguai e até uma com o Papa Bento XVI, no Vaticano.

SPa: Com o Papa ? Conte para nós como esta obra chegou até Bento XVI.
Cristiane: Em 2007, na ocasião da visita do Papa Bento XVI ao Brasil, eu estava com uma exposição aqui em São Paulo no Banco do Brasil da rua Líbero Badaró, e dois clientes meus da Bovespa encomendaram uma obra do Mosteiro de São Bento para presentear ao Papa na ocasião de sua visita. Então eu pintei esta obra e a entreguei no próprio Mosteiro, onde Bento XVI hospedou-se, um dia antes de sua chegada. Algum tempo depois, eu recebi uma carta de agradecimento do Vaticano pela obra que foi oferecida ao Papa.

SPa: Suas obras então já foram para diversos lugares e para muitas pessoas famosas então. Quem mais ?
Cristiane: Algumas obras minhas foram adquiridas por Dom Marcus Noronha da Costa, descendente do último vice-rei do Brasil. Uma delas é a do Museu do Ipiranga, outra do Monumento da Independência, entre outras obras que representam outros localidades do Brasil. Outra obra minha foi adquirida pelo Prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e repassada para um leilão de arte para arrecadar fundos para atividades sociais na favela de Paraisópolis.

SPa: Como as pessoas interessadas em adquirir seus quadros podem entrar em contato com você ?

Cristiane: Podem conhecer meu trabalho e me contatar através do meu blog (clique aqui), nas exposições que realizo com meus quadros ou contato direto pelos telefones (11) 4578-1408 e (11) 9564-1026. As obras expostas estão todas à venda e o interessado pode adquirí-las ou mesmo reservá-las caso não tenha no momento.

Fonte: http://www.saopauloantiga.com.br/entrevista-cristiane-carbone/#comment-4106

Anúncios