Vinde Senhor Jesus! 

by Andrea Costakazawa

Iniciamos hoje um novo tempo litúrgico na vida da Igreja: o Advento; e com ele adentramos no ciclo A, dedicado a Leitura e meditação do Evangelho de São Mateus.

Tempo de preparação, vigilância, de espera pela vinda do Messias que na plenitude dos tempos assumiu nossa carne para nos Salvar e um dia virá novamente em sua glória para “julgar os vivos e os mortos, e o seu Reino não terá fim”. 

O Evangelho desta semana (Mt 24,37-44) nos diz que a vinda do Senhor será como nos tempos de Noé, quando os homens deram as costas a Deus e entregaram-se apenas a prática de orgias e ao enaltecimento de si mesmos, e se esqueceram de Daquele que os criara. Noé e sua família foram os únicos a não se contaminarem com tais práticas e continuarem fiéis a Deus, e por isso Ele usou dele para manifestar a sua misericórdia e amor pela humanidade salvando-a das águas destruidoras do dilúvio. Assim também, Deus envia seu Filho, para que a humanidade seja salva pela sua obediência plena ao Pai; e agora não são mais as águas destruidoras do dilúvio que jorram sobre ela, mas sim o sangue libertador que brota do Coração de Jesus aberto na cruz.

A figura do ladrão que chega sem avisar e entra sem bater, é um convite para que estejamos sempre atentos e vigilantes àquele que pode vir a qualquer momento para tomar posse daquilo que lhe pertence: cada um de nós!

Que nossas lâmpadas estejam acesas e nossos rins cingidos, para que não sejamos surpreendidos de maneira imprópria quando o Cristo entrar pela porta de nossa alma. 

Com Maria, aguardemos vigilantes a vinda do Senhor, abrindo nossos corações para que através da escuta atenta de sua Palavra clamemos confiantes: “Vem Senhor Jesus!”

“Vinde guiar-me nos caminhos do céu, Ó Sabedoria infinita. Ó Esplendor da glória do Pai, vinde iluminar-me com o esplendor de vossas virtudes. Ó Sol de justiça, vinde trazer luz e calor de vida aos que estão sentados a sombra da morte. Ó Rei dos reis, vinde reger-me. Ó Mestre dos povos, vinde ensinar-me. Ó Salvador do mundo, vinde salvar-me!” (Luís da Ponte, Meditações, II, 15,2)  

Irmão Lourenço Palata Viola, OSB  

Anúncios