Ainda hoje estarás comigo no Paraíso* 

Calvário da Igreja Madre de Deus do Recife em Pernambuco – by Andrea Costakazawa

Com grande alegria celebramos hoje a Solenidade de Cristo Rei do Universo, e com ela encerramos o ano litúrgico de 2010.

O Evangelho de hoje (Lc 23,35-43) nos leva ao Calvário, onde nos encontramos com Cristo crucificado; lugar que o Filho de Deus escolhe pra atrair a si toda a humanidade que caminhava nas sombras da morte: “E Eu, uma vez elevado da terra, hei de atrair todos a Mim” (Jo 12, 32).

Ali Jesus demonstra toda sua realeza e seu amor; um rei que tem como trono a cruz e por diadema uma coroa de espinhos. Sinais de humilhação? Não! Sinais de vitória, pois a obediência perfeita de Cristo nos trouxe a Salvação perdida pela desobediência de Adão.

Na cruz o Cristo demonstra seu amor por todos os seus súditos, pois “não há maior prova de amor do que dar a vida pelos amigos” (Jo 15,13).

Jesus é proclamado rei pelos Judeus com um letreiro posto sob sua cabeça, o qual o escarnecia ainda mais: “acima dele havia um letreiro: “Este é o Rei dos Judeus” (Lc 23,38); por causa disto os soldados e o povo chacoteavam dele, insultando com ofensas e escárnios seu único e verdadeiro Rei e Senhor.

Porém, o Evangelho nos mostra que no meio de todo esse horror presenciado no calvário, um olhar é lançado sob a pessoa de Jesus; um olhar cheio de confiança e arrependimento por tudo o qual tinha feito em sua vida, um olhar que clamava misericórdia e proclamava o Cristo como Rei, Senhor e Salvador; é um dos ladrões crucificados com Jesus, o qual a Tradição atribui o nome de Dimas, quem professa a realeza de Cristo pregado na Cruz.

“Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”. Jesus lhe respondeu: “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,42-43) Por sua Fé, o bom ladrão “rouba” o céu, e é o primeiro a acompanhar o cortejo triunfante do Rei que chega glorioso.

Que nós também, impulsionados por esse exemplo, saibamos amar e adorar o nosso verdadeiro e único Rei, aquele que verdadeiramente é  digno de reinar em nossa vida e nosso coração, pois seu reino não se desvanece no tempo, mas perdura eternamente pois é fundado nas colunas do amor, justiça, paz e caridade; não oprime, mas sim acolhe; não rouba, mas sim distribui; não aprisiona, mas liberta; não tiraniza, mas salva plenamente todos aqueles que eram cativos do pecado, aprisionados ao tirano reinado da morte.

Que a uma só voz se faça ouvir nosso clamor confiante: Senhor venha a nós o Vosso Reino! Amém!   

Irmão Lourenço Palata Viola, OSB

* A partir de hoje as imagens dos artigos de Ir. Lourenço terão ilustrações ou fotografias da artista Andrea Costakazawa.

Anúncios