Nos mapas, a evolução da metrópole

São dois pequenos aviões vindos da Itália para tirar fotografias dos imóveis; São Paulo foi a primeira cidade do mundo a receber um cadastro como esse em grande escala

17 de outubro de 2010 –  Rodrigo Brancatelli – O Estado de S.Paulo

Parece até um álbum de família. Da taipa de pilão ao concreto, do pequeno vilarejo de 28 mil habitantes de 1887 à metrópole com 3 milhões de moradores em 1954, o desenvolvimento de São Paulo pode ser visto por meio de inúmeros mapas, plantas e planos desenhados por cartógrafos ao longo dos anos. São recortes do tempo, pedaços da memória paulistana que mostram o crescimento, a evolução e o amadurecimento de uma cidade em formação.

“Dá para enxergar a dinâmica da história de São Paulo, porque os mapas oferecem múltiplos olhares da paisagem paulistana”, diz a historiadora Maria Lúcia Perrone Passos. Ao lado da arquiteta e urbanista Teresa Emídio, ela é responsável por reunir pela primeira vez 59 mapas da capital no livro Desenhando São Paulo: Mapas e Literatura (1877-1954). A pesquisa do livro, que durou quase 30 anos, servirá de base para uma palestra no Museu da Casa Brasileira na terça-feira, dia 19, organizada pelo site ARQ!BACANA (www.arqbacana.com.br).

A cartografia paulistana, além do valor artístico, serve também para entender a máxima de que crescimento não significa necessariamente desenvolvimento – como conta o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss no livro Tristes Trópicos. São Paulo espichava com tal rapidez que cada semana exigia uma nova edição de seus mapas. “Pelos desenhos, planos, projetos e mapas feitos das ruas de São Paulo, dá para ver claramente os dois lados da moeda”, resume Maria Lúcia.

“Por um lado, você enxerga a capital cruel, desumana, que cresceu de forma desordenada por causa do capital. Ao mesmo tempo, você também observa a luta daquelas pessoas que queriam ver São Paulo evoluindo de forma planejada, preservando o seu patrimônio histórico. De um jeito ou de outro, é difícil não se emocionar com a potência que é São Paulo.”

A Exposição “O poder dos mapas e o mapa do poder” será aberta dia 19 de Outubro de 2010 no Museu da Casa Brasileira em São Paulo

Anúncios