Ó Senhor, sois glorificado pelos humildes! (Eclo 3,20) 
 

Humildade; eis a palavra chave que nos é proposta no Evangelho desta semana.(Lucas 14,1.7-14)

Tendo sido convidado para um banquete, Jesus aproveita esta situação para prestar atenção nos “bons modos” (se assim podemos dizer) dos convidados.

A disposição dos lugares em uma mesa de refeições, é algo muito bem elaborado, pois tudo é disposto para que a refeição transcorra na mais perfeita ordem; vários são os costumes utilizados para este fim, variando de região para região.

Vendo que os convidados apressavam-se a ocupar os primeiros lugares, Jesus orienta seus discípulos e a todos os presentes a não terem esta mesma atitude, pois podemos correr o risco de termos que sair dali para dar lugar aqueles para quem os mesmos estavam reservados.

Provavelmente, em um banquete na casa de um fariseu não era qualquer um que se fazia comensal; ora,muitas vezes usamos de nossas condições para exigirmos privilégios e regalias que pensamos nos serem devidas. Sendo o poder uma faca de dois gumes e o posicionamento social, hierárquico, econômico,muitas vezes conseqüência disto, corremos o sério risco de vestirmos uma “fantasia” que nos coloca nas alturas; queremos que nossos privilégios sejam a nossa identidade, e muitas vezes nos esquecemos que antes de tudo somos pessoas humanas como todas as outras!

Sendo assim,vemos que no Banquete do Reino dos céus, os lugares serão dispostos conforme a nossa vivência neste mundo, pois lá nossos “privilégios” não terão lugar e muito menos servirão como nossos “cartões de visitas”, e oxalá não se tornem o motivo de nossa expulsão do salão de festas.

Que saibamos sempre olhar para o Cristo, manso e humilde, presente na pessoa de todos aqueles que são desprezados, pois estes são os verdadeiros convidados do banquete eterno! 

Ir. Lourenço Palata Viola, OSB 

Anúncios