CORPO E SANGUE DE CRISTO

Hoje nos recordamos de tudo o que aconteceu na última ceia. Jesus tomou o  pão que estava sobre a mesa e o transformou em seu próprio corpo. Tomou o vinho e o transformou em seu sangue.
 
Nós cremos. Apenas isto. Hoje e sempre, nós cremos.
 
Em seguida, Jesus repartiu, distribuiu entre os convivas.
Fazendo isto, Jesus concentra e torna presente naquele momento, todo o seu gesto de doação por nós.
Mais ainda, um Deus que se dá como alimento para nós. Permanece entre nós sob forma de alimento. HOJE!
 
No início foi um pouco diferente; mas, à medida que esta verdade de fé era entendida, entre dúvidas e clarezas, nós sempre tivemos predileção por ver – e – pela adoração do pão e do vinho neste Santíssimo Sacramento. E assim, vamos crescendo  espiritualmente. Se comungamos  desde a infância  o corpo de Cristo, este nos acompanha também no crescimento físico.
Consideramos que o desenvolvimento pessoal e a maturidade espiritual nutrem-se mutuamente e se enriquecem: (1) no sacramento  e (2)  na vivência cotidiana na comunidade, na Igreja.
 
Jesus sempre cuida de nós. Mesmo quando adultos. Nossa vida com Ele pode ser um sonho sem fim.
Porém, na realidade da vida humana, amadurecidos, deixamos de  lado o jeito de criança. S.Paulo diz isso.
Quando éramos crianças, tínhamos necessidade de que alguém nos fornecesse o alimento.
Os  adultos devem obtê-lo como adultos.
 
Mas, diante de Jesus somos sempre crianças. Podemos dizer assim?
 
No entanto estamos certos de que podemos  procurá-lo na hora da necessidade. E ao o encontrarmos somos acolhidos. Somos curados. Temos pão e peixe. Não somos despedidos como uma multidão incômoda. Ele é Deus. É bom. – E sua bondade permanece. E permanece entre nós e  em nós. Caminhando um pouquinho mais,  Jesus diz hoje: – Entre  vós, daí-vos vós mesmos de comer (2x).
Essa responsabilidade fraterna mútua nos pertence.
 
Nesta celebração, nesta Eucaristia, onde Cristo está presente, encontramos os meios para comer nosso pão com esperança e na paz.
 
Bendito seja Deus para sempre. Amém.

Homilia proferida Por Dom Abade Luis Cesar de Proença, OSB – na Basílica de Nossa Senhora da Assunção (Mosteiro de São Bento de São Paulo) no dia de Corpus Christi.

Anúncios