Grupo de Música Barroca “Camena”

27 de Maio será aberta a temporada 2010/2011

Iniciativa faz parte do Projeto “Plante Cultura com a Gente”

Por Ivone Kassu / Leandro Gomes

A vida cultural paulistana ganha fôlego a partir do próximo dia 27 de Maio, quando o Mosteiro de São Bento reabre para os amantes da música clássica. O Grupo Camena fará uma apresentação para convidados no espaço histórico, que será aberto ao grande público com espetáculos da mais alta qualidade.

O nome do espetáculo é “Passcale da Vida”, que evoca temáticas relacionadas às mais íntimas vontades humanas, refletindo sobre seus destinos, passando pelo amor até a morte. Tudo forjado de maneira bela, unindo a voz e instrumentos contemporâneos a instrumentos de época. O Grupo Camena é composto por professores da Universidade Federal da Paraíba, a quem está diretamente ligado. Fazem parte: Heloisa Muller (cravo), Ebaney Chasin (Chitarrone/chitarra barroca), Daniel Cavalcanti (trompete), João Victor Figueiredo (percussão) e Rainner Patriota (viola de gamba).

O complexo do Mosteiro de São Bento se mostra apto a abrigar qualquer projeto na área da cultura. Perfeitamente afinado com o movimento de revitalização do centro paulistano, aposta na vertente humanista que, há mais de um século, timbra a ação beneditina: centrada na crença de que formação humana é processo indissociável da arte e, portanto, da música. Seu teatro, inaugurado em 1903, abrigou, por décadas, as atividades culturais do Colégio e da Faculdade de São Bento, a primeira Faculdade de Filosofia do Brasil. Por este Teatro passaram o escritor Oswald de Andrade, os poetas Haroldo e Augusto de Campos, os atores Sérgio Cardoso e Raul Cortez, entre outros. Ali se formou um grupo de teatro amador e um cine-clube, onde se podia assistir e discutir filmes de arte. Em 2004, após um século de história bem vivida, o Teatro São Bento passou pela restauração de sua histórica arquitetura e por uma reestruturação acústica e técnica que o dotou das melhores condições para concertos, peças teatrais, dança, conferências e demais atividades.

Se hoje existe no Brasil um número limitado de eventos centrados na música coral, para o público que frequenta o centro de São Paulo a situação pode ser bastante diferente com a formação e instalação do CORO VIVAVOZ no Mosteiro de São Bento.  

Se esta atividade se estabelece no Mosteiro de São Bento, indiscutível centro educacional e artístico no centro de São Paulo, instituição cuja reverberação cultural na cidade tem de ser aqui marcada, a relevância do projeto VIVAVOZ se põe imediatamente. Relevância e sentido cultural que se irradiam em duas direções convergentes: 1) aos jovens partícipes do coro são oferecidas as condições para seu desenvolvimento humano, intelectual e técnico; 2) condições ofertadas que significam espetáculos e apresentações deste coro à comunidade. Vale dizer, o VIVAVOZ é formação e cultivo de um público potencial, cultivo este, enfim, que é efeito multiplicador imediato.

O evento de abertura é só para convidados.

E o Mosteiro de São Bento abrigará ainda:

Grupo Camena – 9 e 10 de Setembro
Grupo Anima – 10 e 11 de Novembro
Grupo Harmoniemusik – Fevereiro de 2011

Saiba mais sobre o projeto “Plante Cultura com a Gente”

Não existe nenhum brasileiro que não reclame da carga de impostos que paga. O pagamento de tantos impostos inviabiliza suas atividades na empresa ou vida pessoal. Pensando nisso, a produtora Manufatura da Cultura, elaborou a campanha “Plante Cultura com a Gente”, que tem por objetivo incentivar as pessoas e as empresas a repassar parte de seus impostos devidos em benefício de projetos sócio-culturais. Nos últimos três anos, tem se discutido sobre transformar em lei e tornar obrigatória a responsabilidade social das empresas.

Nesta campanha é possível investir com segurança, desde que o empresário escolha um investimento idôneo e transparente; um projeto com credibilidade perante os órgãos culturais brasileiros. Todo projeto cultural aprovado em qualquer uma das três esferas governamentais recebe a chancela do órgão correspondente, que lhe dá credibilidade e fiança, tornando viável a captação de recursos para sua realização.

É importante ressaltar que, a utilização das leis de renúncia fiscal é procedimento legal, claro, viável, e útil para qualquer empresa ou Pessoa Física que preencha determinados requisitos exigidos pelas leis de incentivo. Além da notória cobrança de sustentabilidade e responsabilidade social, existe um lado muito prático para qualquer empresa que invista no social: a divulgação de sua empresa, seu logo, através do Marketing Cultural. A Pessoa Física, que paga anualmente seu Imposto de Renda, pode repassar até 6% deste IR para um projeto cultural. É extremamente gratificante, poder compartilhar com familiares e amigos que um DVD, uma peça de teatro, exposição, foi legitimada, porque você contribuiu com seu imposto de Renda devido. No caso de Pessoa Jurídica, a empresa poderá repassar até 4% do seu IR devido.

Todos os projetos culturais aprovados no Ministério da Cultura têm uma conta bancária aberta, pelo próprio órgão no banco indicado, habilitada à receber a transferência bancária do investidor. Na data do depósito o produtor cultural repassa o título fiscal (recibo Mecenato) padrão do órgão competente ao patrocinador. Este documento dará direito à isenção fiscal de sua declaração dos Impostos. Em nossa proposta, disponibilizamos um banco de projetos já aprovados nas Leis de Incentivo à Cultura.

O evento do dia 27 de Maio é fachado ao público.

 

Para saber mais sobre o projeto “Plante Cultura com a gente” acesse o site da Manufatura da Cultura: http://www.manufaturadacultura.art.br

Mais informações para a imprensa:
Ivone Kassu ou Leandro Gomes

Anúncios