Fonte: Último segundo

SÃO PAULO – O empresário e bibliófilo José Mindlin, de 95 anos, morreu na manhã deste domingo, 28 de Fevereiro de 2010, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele estava internado há cerca de um mês na instituição, com pneumonia. 

Mindlin reuniu ao longo de 80 anos uma biblioteca, chamada Biblioteca Brasiliana, que é considerada a mais importante coleção do gênero no Brasil formada por um particular. Ele e sua esposa doaram o acervo no ano passado à Universidade de São Paulo (USP).

O conjunto de livros e manuscritos inclui cerca de 40 mil volumes, entre obras de literatura brasileira e portuguesa, relatos de viajantes, manuscritos históricos e literários (originais e provas tipográficas), periódicos, livros científicos e didáticos, iconografia (estampas e álbuns ilustrados) e livros de artistas (gravuras).

Aos 95 anos morre o bibliófilo José Mindlin

Entre as obras, colecionadas desde a década de 1930, estão raridades como a primeira edição de “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa, e a primeira edição de “O Guarani”, de José de Alencar, livro que demorou quase vinte anos para ser comprado, entre leilões e oportunidades perdidas. Em entrevista ao iG em 2009, Mindlin declarou: “Tinha pena de quem não dava o devido valor aos livros e não sabia o que estava perdendo, o prazer que os livros podem proporcionar”.

Formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Mindlin fundou a indústria de autopeças Metal Leve, onde ficou até 1996. Dono da cadeira número 29 da Academia Brasileira de Letras, da qual passou a fazer parte em 2006, Mindlin era advogado, jornalista e empresário.

Anúncios