Saiu a mais nova tradução de René Girard – “Rota antiga dos homens perversos”. O livro é publicado pela PAULUS e traduzido por Tiago Risi – nosso grande amigo. Nele, o antropólogo e ensaísta francês, membro da Academia Francesa desde 2005, analisa o livro de Jó como mito fundador da sociedade dos homens, com vistas a identificar na literatura arcaica elementos que têm muito em comum com a realidade presente. Assim como Jó foi eleito bode expiatório do seu povo, na contemporaneidade ainda podemos presenciar a seleção de bodes expiatórios por regimes totalitários, como o nazismo e o comunismo. A grande contribuição do livro, é o brilhante paralelo que Girard estabelece entre Jó e o Cristo: ambos contestaram as estruturas de poder e dominação de seu tempo; ambos defenderam a Verdade, e dela não se esquivaram, sob o risco de perderem a vida e serem condenados injustamente.

A propósito de tão importante obra, vejam o artigo publicado no Caderno 3 do Diário do Nordeste, com calorosos elogios à obra e à tradução:
 
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=729605

Anúncios