Foi confirmada no início desta semana a visita do Papa Bento XVI à Sinagoga de Roma, pela comunidade judaica romana. O Papa irá à mencionada sinagoga em 17 de janeiro. A notícia é importante, pois o diálogo entre católicos e judeus se vê necessário devido a polêmica desatada entre o Vaticano e os judeus pela decisão do Sumo Pontífice de prosseguir com o processo de beatificação do Papa Pio XII.

A data da visita coincide este ano com uma tradicional festa judia romana, que recorda o ataque antissemita contra o gueto de Roma de 1793, durante o qual um inesperado e violento temporal pôs fim ao incêndio que desatou num bairro da capital.

Como bem sabemos, e divulgamos, no final de 2009 Bento XVI proclamou “veneráveis” seus antecessores, os Papas João Paulo II e Pio XI, dando um passo para a beatificação.

O anúncio da proclamação de Pio XII – acusado de ter mantido silêncio durante o Holocausto dos judeus no regime nazistas – como “venerável” causou surpresa.

Bento XVI defendeu em várias ocasiões a figura de Pio XII e expressou seu desejo de que fosse beatificado, apesar das controvérsias sobre sua atitude passiva durante a Segunda Guerra Mundial frente ao extermínio dos judeus.

Os defensores do Papa Pio XII invocam, em compensação, diversas atitudes do Vaticano frente aos nazistas e atribuem a ele todas as ações realizadas por inúmeros religiosos para se opor às deportações para campos de concentração.

Anúncios